Por que desenvolver um MVP vai te poupar tempo e dinheiro?

Já parou para pensar quanto tempo um projeto pode demorar se você não traçar um bom planejamento?

É bem provável que você já tenha lido sobre gerenciamento de tempo e gestão de pessoas, mas para criar um bom direcionamento para o seu negócio é preciso bem mais que ousadia ou mentalidade empreendedora: é preciso analisar métricas e criar testes.

As métricas são parâmetros numéricos (porcentagem ou índices) de desempenho que podem ser obtidas por formulários, tabelas, questionários ou dashboards, que dão uma base para o grau de crescimento que você quer, pode ou deveria crescer, pode crescer ou deveria crescer em relação a você mesmo, seu ramo de atuação ou aos seus concorrentes. Já os testes, são maneiras de expor sua ideia a prova, com intuito de analisar desempenho prático da sua solução e é por isso que criar um Mínimo Produto Viável (MVP) faz toda a diferença.

O que é um Mínimo Produto Viável?

A ideia central do MVP é criar um modelo digital ou físico simplificado (baixa fidelidade) para testar seu produto ou serviço, colocando em análise as funcionalidades que são essenciais para o seu projeto.

Por ser simplificado, o protótipo tem o intuito de não gastar tanto recurso estético, tecnológico ou humano na complexidade, já que dependendo do resultado parcial gerado pelo seus potenciais clientes, o produto poderá passar por grandes modificações, anteriormente não previstas na fase inicial do projeto. Isso resulta na minimização de riscos e grandes perdas no final do projeto, caso a sua ideia não saia como planejada nessa fase.

Outro fator importante é que o MVP, ajuda a criar evoluções da sua ideia ou projeto de forma significativa, já que o empenho fica em analisar se as funções principais do seu produto atenderão ao seu público alvo antes da versão final.

Além disso, criar esse tipo de teste ajuda para que mais pessoas se interessem em colaborar no projeto seja: verbalmente (feedbacks de usabilidade), intelectualmente (conhecimento) ou até financeiramente (investidor anjo). E ainda, possibilita que você se prepare para participação de editais de investimento lançados periodicamente por instituições como o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE).

Você deve ter em mente que: quanto mais rápido você criar seu MVP e colocar para testes, diferente do que as pessoas pensam, menos risco você corre de ser copiado e mais chances você tem de saber o que está dando certo, já que na maioria das vezes a expertise adquirida durante o processo, pode tornar seu projeto singular ou inovador, devido aos feedbacks gerado pelos potenciais clientes. Por isso, quantos mais pessoas você conseguir para analisar, a segurança do resultado aumenta, consequentemente você terá métricas mais precisas e o risco de erros diminuirá consideravelmente.

Fica a dica: o teste do seu MVP é muitas vezes a venda de uma ideia para que o seu potencial cliente ou investidor tenha interesse em te ajudar a melhorar no seu processo.

Tipos de MVP

Existem muitas maneiras de se criar um MVP, entretanto, a melhor maneira dependerá de seu projeto, conhecimento técnico da sua equipe e o período disponível que você tem aplicar os testes e analisar na sequência os resultados.

Partindo do princípio que o seu projeto é de tecnologia para um sistema ou um aplicativo, o seu MVP pode ser um simples protótipo utilizando um storyboard ou mesmo, uma versão do produto utilizando ferramentas como adobe XD e Figma para simular comportamentos do seu projeto. Outra sugestão é criar um site básico com fluxo de cadastro e de desenvolvimento para obter níveis de respostas simples.

Já se sua equipe estiver passado da ideação do projeto dá para utilizar tecnologias que garantam um nível de resposta mais aprimorado terceirizando esse serviço em uma empresa de tecnologia, como é caso da acelerabit. Muitas vezes, nossos clientes buscam construir a ideia um pouco mais aprimorada para tomada de decisão e depois do resultado, acaba fechando a construção de um projeto completo, tendo retorno do mercado antes mesmo do que esperava.

A importância de terceirizar a demanda para uma empresa com a expertise, garante menos preocupações e um salto na agilidade, já que diversas vezes, mesmo que um dos componentes do seu projeto entenda de tecnologia, ele pode ter demandas extras em um trabalho paralelo, não tem tempo para se dedicar suficiente na aplicação conjunta do MVP ou na análise de dados.

Como saber se meu MVP está dando resultado?

Um fator importante para que você construa um bom protótipo é definir bem o seu público alvo ou que tipo de cliente você irá atender e de que forma aquele potencial cliente teria tempo e vontade para testar. Em geral, testar com conhecidos, não trará grandes resultados já que a tendência é que eles levem em conta o nível de proximidade ou pessoalidade na hora que forem dar o feedback.

Fica a dica: Documentar cada fase do MVP vai dar um histórico bastante funcional que servirá não só para motivar a equipe do projeto em passos futuros, mas também, poderá dar ideias valiosas para a criação de subprodutos que podem derivar durante todo o aprendizado.

Quanto eu economizo criando um MVP antes de desenvolver uma solução completa?

Você vai sentir que está economizando dinheiro, quando perceber que na maioria das vezes o seu MVP pode ser feito utilizando menos recurso do que você previa e ainda vai notar que seu projeto tecnológico vai chegar mais maduro para uma equipe como a acelerabit, começar a desenvolver e entregar o resultado esperado para seus clientes ou futuros clientes.

Resumindo: Faça a ideação do seu projeto, crie um MVP, trace metas para análise e desenvolva um produto final para ir para o mercado.

Hilton Neto
Diretor de Marketing da acelerabit

Share on

There are no comments

Deixe uma resposta

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart
WhatsApp chat